Farinha de Trigo: Será a Vilã do Século XXI?

Farinha é a Vilã do Século XXI? Sem Gluten

Cada dia mais vemos que as dietas sem glúten ganham espaço na vida das pessoas. Seja para buscar melhor qualidade de vida, ou então com o intuito de emagrecer, essas pessoas cortam o glúten do cardápio, e o substituem por alimentos mais saudáveis.

Farinha vila

Há quem apoie e quem seja contra o corte da farinha do cardápio, já que alguns dizem que ela pode fazer mal para a saúde enquanto outros apontam seus benefícios. Então acabamos no meio do caminho, tentando entender se a farinha de trigo, um dos principais alimentos que contém glúten, e muito presente em nossa dieta, é realmente uma vilã no século XXI. Se você está com essa dúvida também, e não sabe se pode ou não tirar a farinha de uma vez da sua alimentação, vai gostar de ler esse artigo. Vamos entender de uma vez por todas se afinal, a farinha faz mal ou não. Acompanhe.

Afinal, farinha faz mal ou não?

Antes de responder a essa pregunta é preciso relembrarmos que mesmo as vitaminas, quando ingeridas em excesso fazem mal para saúde, assim , não existe um alimento que seja 100% seguro, quando consumido em excesso. Dito isso, agora vamos analisar a farinha. No caso desse alimento ela pode fazer muito mal para uma pessoa, e até mesmo causar sua morte, ou netão não causar mal algum. Isso acontece porque a farinha contém o glúten. A questão da farinha e do glúten é a sensibilidade que a pessoa apresenta a essa proteína. Celíacos, por exemplo, não podem ingerir a farinha porque essa causa diversos distúrbios em seu organismo, podendo levá-los a desnutrição. Os intolerantes também sentem os efeitos do glúten da farinha em sintomas que atingem o sistema digestivo, o intestino, e causam desconfortos diversos, como enxaqueca, sensação de estufamento, entre outros. E no caso das pessoas que não são celíacas nem intolerantes, a farinha pode fazer mal? A resposta é sim, a farinha faz mal para a saúde e pode causar diversos problemas quando consumida em excesso. Os alimentos produzidos a partir de farinha de trigo são muito calóricos e fazem aumentar o peso corporal, também são ricos em açúcar, porque esse está presente na própria farinha. O glúten é uma proteína inflamatória e pode acumular toxinas no organismo. O glúten da farinha também tem uma digestão lenta, e sendo assim, o corpo precisa trabalhar mais para sintetizá-lo, isso causa a sensação de indigestão e estufamento após sua ingestão. Veja essa reportagem falando sobre o glúten:
 

Cortar a farinha é a solução?

Alguns especialistas não aconselham a retirada total da farinha de trigo para pessoas que não são intolerantes ao glúten. Porém, aquelas que possuem a intolerância e também as celíacas devem consultar um especialista para serem aconselhadas, já que a ingestão da farinha causa problemas para elas. Voltando ao caso de quem não tem problemas com o glúten, ele pode vira ser um, caso não se tenha controle da alimentação. A farinha está presente em diversos alimentos que consumimos todos os dias. O pão, por exemplo, alimento comum do brasileiro, é rico em glúten. Também as bolachas, biscoitos, macarrão, bolos, sopas salgados e muitos outros. Quando consumimos porções grandes de massa e reduzidas de alimentos naturais, o desequilíbrio orgânico vai acontecer. A farinha poderá causar problemas como a obesidade, diabetes, aumento dos triglicerídeos, acúmulo de toxinas, distúrbios gastrointestinais, entre outros. Esses problemas podem causar outros maiores, como os cardíacos e também hipertensão e aumento do colesterol, já que os desequilíbrios orgânicos acarretam essas complicações. É por isso que a farinha é uma das vilãs do século XX. E segundo especialistas isso está relacionado, inclusive, com a qualidade da farinha de trigo que consumimos hoje. De acordo com o médico Patrick Rocha, especialista em Diabetes, pesquisador em Nutrição e presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas, a farinha de trigo de hoje é diferente daquela de 30 ou 40 anos atrás. Hoje, a farinha tem muito mais açúcar, o que a torna agressiva para nosso organismo. E segundo um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a farinha de trigo tem efeito viciante no organismo, porque aumenta os níveis de serotonina e de dopamina, substâncias que causam sensação de prazer. Assim, as pessoas comem e comem cada vez mais, porque se sentem bem ao ingerir derivados da farinha, e isso leva ao consumo excessivo, que por sua vez, causa os males já citados. A solução para esse problema é reduzir ao máximo o consumo de trigo no caso de pessoas saudáveis. A substituição por farinhas como a de arroz, amêndoas, de milho, féculas e amidos ajuda a manter uma alimentação mais saudável, como você pode ver nesse site. Também é possível modificar suas receitas e incorporar as farinhas saudáveis junto ao trigo, reduzindo a quantidade desse. Além disso, é essencial mudar o cardápio e reeducar o paladar para consumir maiores porções de alimentos naturais, que vão ajudar a manter o corpo nutrido e minimizar os efeitos da farinha. Assim, a farina é uma vilã do século XXI, porque está entre os alimentos causadores de problemas de saúde. Porém, com equilíbrio e moderação você conseguirá manter uma vida saudável. Se sua opção for cortar a farinha do cardápio, converse com um nutricionista para receber instruções de como fazer as substituições da maneira certa, sem complicar sua saúde.

Atualmente, não há produtos disponíveis nesta categoria.